O DEDO NO GATILHO

“Egoísmo, ansiedade e outras maleitas a carecer de antidepressivos” Octávio Libertino estava apenas a um passo de concretizar o objectivo que traçara para si próprio, no momento em que descobrira que toda a sua existência não passara de uma encenação. Talvez estivesse a ser demasiado dramático, provavelmente estaria a sê-lo desde o primeiro momento, masContinue a ler “O DEDO NO GATILHO”